Time to Market IV

por: Maria A.Carvalho

Mesmo você tendo um excelente processo de desenvolvimento do produto, a falta de uma estratégia dificultará ou mesmo impedirá uma boa escolha das idéias e tecnologias que serão incorporadas ao produto.

Conhecer o cliente é um fator primordial para o desenvolvimento do produto. Embora haja diferenças entre o B2B e o B2C, em ambas situações precisamos encontrar as necessidades dos clientes e, por vezes, até precisamos surpreendê-los. (Carvalho M.A. – Engenharia de Embalagens, Ed. Novatec, 2008, p. 28)

Tanto para um ou outro tipo de negócio, os passos e as ferramentas para escolha das melhores soluções serão os mesmos se queremos atingir os objetivos da empresa e obter um produto que tenha valor para o cliente.

O processo para encontrar a solução para o produto deve encorajar a colaboração de todos os envolvidos no desenvolvimento do produto. (idem, p. 90)

As necessidades dos clientes devem, sempre que possível, ser traduzidas com uma resposta material no produto. Ou seja, o que vamos incorporar no produto para atender essa específica solicitação ou expectativa do cliente.

Para tanto, a necessidade deve ser muito bem compreendida, para que não seja traduzida de forma errada. Uma das formas de obter confirmação do atendimento é observar como o cliente usa um produto similar ou mesmo quais os problemas que o cliente tem para executar uma determinada operação.

Para facilitar o processo de definição do produto, costumamos separar os requerimentos em algo mais ou menos como: aparência (cosmética), durabilidade (qualidade), desempenho (velocidade, potência), facilidade para uso (portabilidade, tensão, instalação), facilidade para adquirir (o produto, os materiais de consumo e as atualizações), etc. Cada produto ou cada família de produtos terá uma gama de requerimentos.

Ainda falando sobre a definição do produto, a equipe de desenvolvimento não pode deixar de ouvir quem vende lá na ponta, para o consumidor final.

É isto mesmo. É incrível mas ainda encontramos equipes com excelentes valores pessoais e profissionais, muito bem estruturadas, que dispõem de recursos imensos para desenvolver um produto que pode ser um campeão de vendas, mas que se esquecem de ir lá no balcão, para conversar com os vendedores.

Eu sei que é desconfortável sair por aí, percorrer estradas ruins, almoçar em locais no mínimo estranhos, sem conforto. Mas é necessário.

Também tão importante quanto os requerimentos dos clientes, serão as informações obtidas das análises dos produtos concorrentes. A coleção de informações que obtemos dessa análise ajudará a atingir o nosso objetivo de acrescentar o que o cliente dará valor e evitar simplesmente copiar detalhes, materiais, acabamentos, serviços ou acessórios que o cliente não usa ou não valoriza.

Os requerimentos dos clientes e as informações obtidas da análise competitiva, se bem trabalhadas pela equipe de desenvolvimento, nos levará ao resultado ideal, de um produto com um valor que o cliente está disposto a pagar.

Os exemplos se multiplicam. É só observar alguns modelos de automóveis, computadores, telefones celulares dos mais simples aos mais sofisticados. Cabe ressaltar que muitos dos produtos de sucesso, este é devido mais ao serviço associado do que à resposta materializada no produto.

Aproveite esse artigo para pensar nos produtos que a sua empresa tem hoje e reaavalie o que o cliente está dando valor.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: