Ano Novo

por: Maria A.Carvalho

Até pensamos que 2009 não ia acabar.

Para quem estava na frente de batalha, foi um ano duríssimo, especialmente para as indústrias eletronica, de embalagens, de papel, de máquinas, fundições, resinas, etc. Salvaram-se com menos danos as indústrias alimentícias, farmacêutica, linha branca e automobilística.

Independentemente do que acontecerá no cenário internacional no ano que se inicia, quando, se tudo der certo, voltaremos aos números de 2008, precisamos colocar e manter em prática algumas lições básicas:

– Não há mais lugar para improvisações, meias soluções ou soluções de última hora. As nossas universidades estão preparando excelentes profissionais e temos que fazer uso dessa mão-de-obra especialíssima. O que parece custo em um primeiro momento, é lucro. Temos acompanhado a formação de Engenheiros e Técnicos nas boas escolas e, podem crer, estão preparadíssimos para suas funções;

– temos que contar também com profissionais experientes, muitos hoje consultores e em atividades de assessoria, que resolvem questões intrincadas rapidamente. A experiência destes profissionais vem acompanhada de contínuas especializações e estão atualizadíssimos. É um custo que se paga em meses;

– nossa decisão de compra não pode ser baseada somente no custo. O mercado global está aí para nos atender, mas ficaram as histórias dos recalls e aumento do custo de assistência técnica por conta de componentes defeituosos baratos. Adicionalmente não temos como saber, a curto prazo, qual o prejuízo com os consumidores insatisfeitos;

– normas, testes e ensaios não são preciosismos de acadêmicos antiquados. Se queremos conquistar e manter o mercado, temos que fabricar com qualidade. Sem qualidade não tem segunda oportunidade. Muitas vezes nem a primeira. Portanto, testar e seguir normas é mais que obrigação. É sobrevivência do produto e da empresa;

– a internet é um canal de comunicação poderoso onde o cliente tem voz imediatamente, diferentemente de outras mídias. Informações sobre produtos e empresas, tanto as boas como as más referências, entram na rede mundial em segundos. A relação com a internet tem que ser estudada e cuidada por especialistas. Se considerarmos que cerca de 90% da classe A, 80% da classe B e 50% da classe C consulta a internet regularmente, dá para imaginar o sucesso ou o estrago a que estamos sujeitos;

– colaboradores internos e externos são seres pensantes, são consumidores e também clientes. Portanto ouví-los pode ser a chave para a descoberta de novos processos e saudáveis modificações em serviços, produtos e relacionamentos com clientes e fornecedores.

– planejamento e mais planejamento. Planos têm que ter princípio, meio e fim. Cada uma das idéias acima deverá ser planejada. Não se muda com revoluções ou, pelo menos, os resultados de revoluções costumam ser devastadores no sentido negativo, mais que no positivo.

Resumindo: o ano será novo, mas as lições até que são bem velhinhas. Ainda há muita resistência para aplicá-las, mas Janeiro sempre traz esperanças. Esperamos uma profunda mudança de comportamento dos mais arraigados a práticas antigas. Não será tão difícil assim.

Feliz 2010 e sucesso !

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: