Embalagens para transporte – prevenindo contra roubos

Por: M. Carvalho

Um dos grandes prejuízos que temos que contabilizar são os roubos de carga. Os noticiários frequentemente relatam os grandes roubos. Os pequenos, muitas das vezes constantes, raramente aparecem na mídia mas causam, igualmente, grandes prejuízos.Dificilmente vamos conseguir impedir um roubo mas podemos dificultar as coisas para o nosso inimigo oculto.

Um dos recursos que temos é o uso de dispositivos que podem seguir as embalagens durante o transporte e nos avisar por onde passam. São os RFID ou dispositivos de identificação por radiofrequência. Mesmo não impedindo o desvio da mercadoria, estes podem, pelo menos, nos dar uma notícia segura sobre em qual trecho a carga foi desviada. Com esta informação podemos, dentre outras providências, rever os processos e sistemas de controle. A aparência e funcionamento dos RFID é semelhante a que estamos acostumados a ver nas grandes lojas, colado nos produtos, ou em alguns aeroportos.

Existem três tipos de dispositivos, geralmente fornecidos no formato de uma etiqueta, que pode ser colada tanto na parte externa da embalagem como na interna. O tipo “ativo” contém uma bateria e transmite a informação automaticamente. O do tipo “passivo” não contém bateria e precisa de uma fonte externa para transmissão do sinal. O tipo “misto” contém uma bateria que é ativada por uma fonte externa. Este geralmente possui uma capacidade de transmissão maior e cobre uma área também maior.

Uma embalagem com RFID pode ser seguida durante o percurso a medida que vai passando pelos pontos de verificação. Para uso por uma empresa transportadora, por exemplo, conhecendo-se o percurso que a carga deve fazer – cliente (coleta), armazém (entrada para consolidação), despacho, armazém e despacho para o destinatário – podemos fazer a leitura e coletar os dados em uma central. Além da vantagem de podermos determinar se houve algum desvio por roubo teremos uma informação mais precisa sobre a previsão de entrega no destino o que aumenta a confiabilidade do serviço. Adicionalmente, as etiquetas de RFID facilitam os inventários físicos nos centros de distribuição e permitem garantir a exatidão dos volumes consolidados, evitando desvios involuntários das mercadorias e consequentes erros nas entregas.

Embora esta tecnologia pareça aplicável somente nas grandes empresas e para cargas de alto valor, o seu custo vem se tornando menor, o que, aliado aos benefícios de maior acuracidade nos inventários e possibilidade de redução de estoques passa a tornar viável o seu uso tanto no comércio como na indústria.

É importante, para execução do projeto, que todas essas economias sejam consideradas para o cálculo final do investimento requerido, além dos ganhos em velocidade e confiabilidade nas informações.

Falando em preços, cada etiqueta de RFID passiva custa cerca de R$ 0,80 e as leitoras R$ 4.000,00. Aparentemente estamos somente adicionando custo mas, dependendo da carga e dos ajustes nos processos podemos chegar a um projeto que se paga em, no máximo, 1 ano.

Outro recurso, não tão sofisticado, é o uso de etiquetas e fitas que evidenciam a abertura da caixa.

Além do modelo bastante conhecido que, quando retirado deixa na embalagem a marca “aberto”, existem outros mais elaborados.

Um deles é uma etiqueta que, se cortada, mesmo com uma lâmina bem afiada, e a caixa for fechada novamente com fita adesiva transparente, aparece a palavra “opened” depois de duas horas. Caso seja retirada, também deixa um resíduo com a mesma palavra. Estas etiquetas são fornecidas com número de série, o que permite a associação ao banco de dados com detalhes da mercadoria.

Há também uma fita impressa com barras em diagonal, que ainda não está sendo vendida no Brasil, que, pela posição das barras, fica impossível fechar a embalagem novamente sem evidenciar a sua abertura.

Para fechamento de sacos transparentes existe ainda a fita adesiva de dupla face que, em caso de tentativa de abertura do saco, é impossível fazer coincidir as impressões, ficando evidente a tentativa de fraude.

Para fazer um projeto e definir o tipo de segurança que será adotado, é muito importante que se conheça todo o percurso que a embalagem deve percorrer bem como os processos de manuseio, transporte, frequência, quantidades de embalagem movimentadas, preço da carga, tempo de inventário, tempos de carga e descarga, freqüência de roubos, custos, etc.

Conhecendo-se todo processo e com a base de dados completa pode-se avaliar melhor os ganhos e os custos envolvidos para que seja adotada uma ou outra solução. Nem sempre a mais simples ou a aparentemente mais econômica será a ideal ao considerarmos o custo total.

2 respostas para Embalagens para transporte – prevenindo contra roubos

  1. Olá vendo produtos para fechamento de embalagens e estive vendo o seu blog fico otimo…estou montando o meu ainda…e nao divulguei estou terminando……

    • embalagem disse:

      Oi, Kelly,
      Parabéns pela iniciativa. Sucesso aí nos seus negócios. Estamos torcendo por você.
      Depois vamos lá conferir para recomendar para os nossos clientes.
      Um abraço,
      Maria A.Carvalho

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: